Uso excessivo de telas afeta nossa saúde ocular

Dr. Leonardo Gontijo, diretor clínico do Instituto de Olhos Minas Gerais, oftalmologista especialista em córnea e cirurgia refrativa, é o novo colunista do Balcão News

Uso excessivo de telas afeta nossa saúde ocular
Lett Souza
redutea
banner redutea
banner redutea


Adultos, jovens e crianças têm passado mais tempo em frente a dispositivos eletrônicos, fator que se agravou na pandemia. Temos feito de forma mais intensa tarefas e contatos pessoais remotamente, além das atividades de lazer, como streamings e games.

Uma pesquisa feita pela Squid, empresa especializada em marketing de influência, aponta um aumento do uso do celular em 88,4% das pessoas, enquanto que da TV o uso cresceu 62,1% e do computador, 43,6%. Foram ouvidas mais de 3.500 pessoas para entender os hábitos adquiridos durante a quarentena e como estão se relacionando com a tecnologia.

Esse fenômeno impacta diretamente a saúde dos olhos acentuando uma condição que costumo relacioná-la aos tempos modernos, a Síndrome do Olho Seco. O tempo maior em frente às telas faz com que as pessoas pisquem menos. Ao piscar menos ocorre uma evaporação mais rápida do filme lacrimal – fina camada de líquido que cobre a superfície ocular e funciona como um mecanismo de defesa contra infecções, além de manter os olhos lubrificados e nutridos através do ato de piscar.

Uma pessoa pisca em média 20 vezes por minuto, mas ao utilizar o computador, smartphone ou outras telas essa média cai para seis vezes por minuto! Portanto, piscar menos resulta num desequilíbrio dos componentes da lágrima e gera um estado de olho seco.

A Síndrome do Olho Seco ou Disfunção Lacrimal interfere na produção e na qualidade das lágrimas, causando ressecamento da superfície do olho, da córnea e da conjuntiva. Os sintomas mais comuns são sensação de fadiga nos olhos ao usar eletrônicos, olhos vermelhos e irritados, coceiras constantes, sensibilidade à luz, ressecamento ao acordar ou em ambientes com ar condicionado, visão embaçada, intolerância às lentes de contato gelatinosas, facilidade para contrair inflamações oculares.

Para tratar os sintomas, que são bastante incômodos, é fundamental buscar orientação de um oftalmologista, mas o primeiro passo é piscar mais. Coloque um lembrete no monitor do seu computador. Procure fazer pausas, saia um pouco da frente das telas, caminhe dentro de casa, se alongue, busque um copo de água.

Felizmente, a ciência está em constante evolução e existem tratamentos modernos, seguros e eficazes para combater o olho seco. Na próxima coluna contarei a vocês quais são. Até lá!

IOMG - Instituto de Olhos Minas Gerais

LEIA TAMBÉM:

Vamos dar uma passeada por Portugal?

As roupas que são a cara do mar invadem a cidade

Afinal, no Brasil bebemos uma bela Pilsen?

Petrobras (monopólio) e o Mercado (concorrência)